Europa através dos meus olhos! – Vaticano

E a viagem chega ao fim! Nossa ultima parada é a casa do Papa!
A visita começou bem cedo. Primeiro fizemos um tour guiado pelos Jardins do Vaticano. Os jardins ocupam mais da metade do território e o acesso a ele é restrito: apenas quem participa do tour pode visitar. Se você tem interesse de conhecer compre o ingresso para o tour pela internet, é bom comprar com um pouco de antecedência pois as vagas são limitadas e a procura é grande durante todo o ano.

Jardins do Vaticano
Jardins do Vaticano

Nos jardins existem inúmeras espécimes de plantas e ele é todo decorado com fontes e estátuas. A maior fonte é a Fontana dell’aquilone. O Google traduz como Fonte da Pipa, mas de acordo com a nossa guia ela é chamada de Fonte das Águias. No topo da pedra principal da fonte existe uma águia e a cor da água impressiona de tão azul.

Fonte das Águias
Fonte das Águias

Passamos por algumas construções dentro dos Jardins: o prédio da Rádio Vaticano, um labirinto, o Palácio do Governadorato, o convento das irmãs, a estação de trem do Vaticano e a residência do (ex-Papa) Bento. A rádio é responsável por anunciar a mensagem cristã católica e transmite em 45 idiomas!! Eu tentei ler sobre como o Vaticano é governado, mas é confuso demais para mim hehe Quem tiver interesse a Wikipédia tem um artigo em inglês explicando tudo sobre isso. A estação de trem serve apenas para abastecimento da cidade, não há transporte de pessoas nos trens que param lá.

Labirinto
Labirinto
Domo da Basílica de São Pedro
Domo da Basílica de São Pedro
Fonte
Fonte
Teatro a céu aberto
Teatro a céu aberto
Fonte atrás do Teatro
Fonte atrás do Teatro

O Museu do Vaticano é enorme! Tem muita coisa bacana pra ser visto lá dentro, mas o que mais me impressionou foi a arquitetura e decoração. As salas são tomadas de pinturas em todas as paredes e no teto. Quase não se vê paredes brancas! A sala mais importante do Museu é a Capela Sistina, mas infelizmente não se pode tirar fotos, e aparentemente respirar lá dentro também é proibido! haha a todo momento um segurança grita: silêncio! Imagino que seja por ser um local sagrado, mas o ecoar do grito de silêncio dele é pior do que os sussurros dos turistas.

Museu do Vaticano
Museu do Vaticano
Interior - Museu do Vaticano
Interior – Museu do Vaticano
Interior - Museu do Vaticano
Interior – Museu do Vaticano
Escada da saída - Museu do Vaticano
Escada da saída – Museu do Vaticano

Eu queria ter trago lembrancinha de lá para muita gente, mas infelizmente tudo lá é absurdamente caro! Não se acha nada mais barato que 10 euros, e isso é apenas o terço mais simples. A minha lembrança do Vaticano é um cartão postal que eu mandei pelo único posto dos correios dentro dos limites da cidade!

Enviando o postal!
Enviando o postal!

A última parada foi a Basílica de São Pedro. Como já mencionei em um post anterior, essa é a maior basílica da região de Roma. Mas é difícil descrever o quão grande ela é. São vários corredores, com imagens de antigos papas, santos, pinturas sobre a vida de Jesus e até um presépio. Era época de Natal e havia ainda uma árvore de natal no centro da Praça São Pedro. Dentro da basílica se encontram a Pietà de Michelangelo, o túmulo de São Pedro e de vários Papas, incluindo João Paulo II. Dá pra perder umas horinhas dentro da basílica apreciando toda a decoração. Assistimos uma missa em latim e confesso que eu entendia o rumo da missa, mas não conseguia entender nada! Na saída da basílica vimos dois guardas do Papa. O nome oficial do corpo de segurança é Guarda Suíça Pontifícia. O uniforme da guarda é uma coisa um tanto engraçada: me lembra a roupa dos antigos bobos da corte, em amarelo e roxo/azul, com uma plumagem vermelha na cabeça! O design da roupa é atribuído a Michelangelo.

Praça São Pedro
Praça São Pedro
Altar principal sobre o túmulo de São Pedro
Altar principal sobre o túmulo de São Pedro
Pietà
Pietà
Interior - Basílica de São Pedro
Interior – Basílica de São Pedro

Durante toda a viagem eu graveis alguns vídeos, para guardar de recordação. Resolvi juntar e fazer um vídeo geral sobre a Itália para vocês! Assistam em HD 😀

Chegamos ao fim da nossa viagem! Gostaram de conhecer a Itália? Espero que vocês tenham se divertido comigo!

Anúncios

Europa através dos meus olhos! – Roma

A última cidade européia que eu tive a felicidade de conhecer: Roma! Nem acredito que pude compartilhar com vocês todas as minhas aventuras pelo velho continente! Ainda existem algumas cidades do Reino Unido para compartilhar com vocês, mas de agora em diante os post sobre viagens vão dividir espaço com outros temas. Fiquem de olho porque vem novidade por aí 🙂

Passamos 4 dias em Roma sendo que um deles foi dedicado à conhecer o Vaticano, então se preparem porque lá vem história!!

Primeiro dia

A primeira parada foi a Piazza Navona. A fonte principal dessa praça, Fonte dos Quatro Rios, aparece no filme Anjos e Demônios. Essa fonte é composta por estátuas de quatro deuses dos rios e um obelisco egípcio. Cada deus representa um rio e seu continente: Nilo (África), Ganges (Asia), Danúbio (Europa) e o Rio da Prata (América).

Piazza Navona
Piazza Navona
Fonte dos Quatro Rios
Fonte dos Quatro Rios

No caminho entre a Piazza Navona e o Pantheon passamos pela Basílica de Santo Agostinho, a embaixada Brasileira, o prédio do Arquivo do Estado de Roma e a Basílica de Sant’Andrea della Valle. Todos estavam fechados ou não eram abertos para visitação.

O Pantheon é um templo de todos os deuses da Roma antiga e começou a ser construído algumas décadas antes de cristo! Em 608 o Papa consagrou o Pantheon como igreja cristã e esse é um dos principais motivos pelo qual ele sobreviveu ao período medieval, onde as grandes construções romanas foram praticamente destruídas. O pórtico de entrada é sustentado por várias colunas e o interior é um formato redondo. A parte interna do prédio é toda decorada em mármore e a cúpula é toda construída em blocos de concreto que se encaixam e vão reduzindo o peso à medida que sobem. Dentro do Pantheon caberia uma esfera de 43,3 m de diâmetro!  No centro da cúpula existe um enorme “buraco” para iluminação do interior do prédio. A arquitetura interna foi feita de forma que a água da chuva que entrasse pelo teto fosse escoada para o centro do prédio e drenada por pequenos orifícios no chão! Pude ver esse sistema em funcionamento, pois estava chovendo no dia em que estivemos lá.

Pantheon
Pantheon
Detalhe do teto - Pantheon
Detalhe do teto – Pantheon
Interior - Pantheon
Interior – Pantheon

Paramos para conhecer o teto em 3D da Igreja de Santo Inácio de Loyola. Olhando para cima tem-se a impressão de que a igreja continua a subir, elevando suas colunas ao céu e ao encontro dos anjos! Infelizmente a minha foto não ficou muito boa, mas espero que vocês consigam ter essa noção de profundidade! Dentro da igreja existe uma peça chamada Magnificência e Religião. Ela representa uma única e gigantesca igreja cercada por várias igrejas importantes do mundo. Alguém consegue reconhecer as que aparecem na foto? 🙂

Detalhe do teto -  Igreja de Santo Inácio de Loyola
Detalhe do teto – Igreja de Santo Inácio de Loyola
Magnificência e Religião -  Igreja de Santo Inácio de Loyola
Magnificência e Religião – Igreja de Santo Inácio de Loyola
Reconhece alguma igreja?
Reconhece alguma igreja?

Não podia deixar de conhecer a famosa Fonte de Trevi, muito menos visitá-la e não jogar uma moedinha lá dentro!! A fonte foi construída ao final de um aqueduto que abastecia Roma antes da idade média. É uma construção muito bonita e recebe muitos turistas. É muito difícil conseguir chegar próximo às águas da fonte. Dá pra notar a popularidade do lugar pela quantidade de moedas dentro da fonte!

roma8
Fonte de Trevi

A última parada foi a Pizza del Popolo (Praça do Povo). Essa praça recebeu muitas intervenções Papais e cada um deles acrescentou uma igreja (ou restaurou ela), ou uma estátua ou uma fonte! Já estava de noite e a praça estava tomada por um palco gigantesco e pelas preparações para a comemoração do ano novo chinês. Conhecemos apenas a Igreja de Santa Maria do Povo, onde estão algumas das obras de Caravaggio. Infelizmente não era permitido fotografar.

Segundo dia

O dia começou com uma visita ao antigo Fórum Romano e todas as antigas construções que permanecem vivas à sua volta. É uma parte enorme da Roma antiga muito bem preservada. É impossível descrever tudo o que vimos ali. Eu ficava o tempo todo imaginando como eram as construções, onde as peças se encaixavam, como as pessoas viviam naquele espaço. É uma sensação um pouco angustiante, pois não há muitas imagens que representam as construções intactas. não se tem uma noção completa de como era a vida naquela época, então fica tudo a critério da sua imaginação. Espero que as fotos transmitam essa sensação para vocês também, e que vocês tentem imaginar como era essa Roma antiga.

Ruínas do Fórum Romano
Ruínas do Fórum Romano
Ruínas do Fórum Romano
Ruínas do Fórum Romano

O segundo monumento do dia foi o Coliseu! Preferi manter minhas expectativas baixas em relação ao Coliseu depois de passar pelo Fórum. Seria mais uma construção pra ficar imaginando? Mas me surpreendi! Em todos os cantos haviam imagens retratando como foi um dia aquele “estádio”. Inclusive uma parte da arena e da arquibancada foram reconstruídas para dar aos visitantes uma ideia de como as coisas funcionavam. Dava pra olhar pro alto e imaginar as arquibancadas cheias de gente e os gladiadores lutando na arena. Confesso que imaginar isso não traz a melhor das sensações, mas fica aquela “emoção” de estar num lugar tão imponente e marcante da história antiga.

Coliseu
Coliseu
Interior do Coliseu
Interior do Coliseu

A última visita do dia foi à Basílica Papal de São Paulo fora dos muros. Ela é a segunda maior basílica católica de Roma, ficando atrás da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Diz-se que ela foi construída no local onde São Paulo foi sepultado e que seu túmulo está sob o altar principal. O motivo da nossa visita era ver o Papa Francisco! Ele presidiu uma liturgia em comemoração a convenção de São Paulo. Esse Papa realmente é uma figura muito carismática, sorridente e muito simpática. Distribuiu tchauzinhos para os fiéis que estavam ainda do lado de fora da basílica 🙂 Apesar de não ser católica, foi uma experiência inesquecível poder ficar tão perto de uma figura tão importante.

Terceiro dia

Tiramos o dia pra conhecer mais um pouco a cidade e relaxar! Afinal depois de toda essa viagem, de lá pra cá, zanzando entre várias cidades, ainda tínhamos que voltar pra Londres e organizar tudo pra voltar finalmente pra casa! A visita então se resumiu ao Altar da Pátria: um monumento em honra a Vítor Emanuel II da Itália, primeiro rei da Itália unificada. É uma construção gigantesca em mármore branco, com uma estátua de Vitor montado à cavalo na frente e duas estátua da deusa Vitória em quadrigas (carroça puxada por quatro cavalos – wikipédia é cultura!) no topo. Dentro do prédio estava tendo uma exposição sobre a imigração italiana e em um computador dava pra descobrir quando uma pessoa saiu da Itália e para onde foi. Achei alguns antepassados imigrando para o Brasil 🙂

Altar da Pátria
Altar da Pátria

Depois da visita resolvemos ir ao cinema, só não conseguimos! O primeiro cinema que tentamos tinha uma fila gigantesca na porta e não conseguiríamos comprar o ingresso à tempo de ver o filme. No segundo cinema eles só passavam filmes dublados (em italiano). O mais engraçado foi o anúncio pregado na bilheteria dizendo que o filme começaria atrasado, como tudo na Itália! Alguém já viu isso? hehe

O Quarto e último dia foi dedicado ao Vaticano, mas esse é assunto para um post separado!

E aí, Gostou de passear por Roma? Comente e me conte o que você achou!

Europa através dos meus olhos! – Milão

Minha última grande viagem pela Europa foi para a Itália. Minha descendência é italiana, tanto por parte de mãe quanto por parte de pai, então essa era uma viagem muito especial pra mim. Deixei essa visita para o final para poder viajar sem preocupações com faculdade, tempo e dinheiro. Acho que essa foi a viagem mais longa que fiz, foram 14 dias. Deu pra conhecer bastante coisa. O Gabriel foi a minha companhia durante a viagem e apesar do frio e da chuva que pegamos nos primeiros dias conseguimos aproveitar bastante! Conhecemos ao todo 6 cidades: Milão, Como (e adjacências), Veneza, Florença, Parque Nacional Cinque Terre e Roma. Seguindo a ordem da viagem a primeira parada foi Milão. Muitos amigos disseram que um dia era o bastante para visitar os principais pontos de Milão. Optamos por passar um único dia por lá e por isso ele foi bem preenchido, mas acredito que tenha realmente sido suficiente.

Milão é conhecida como a capital mundial da Moda e do Design, pra onde quer que você olhe tem uma loja famosa. Apesar dessa fama toda, as pessoas que você vê andando na rua vestem roupas comuns, nada cheio de glamour como a gente imagina! A Galleria Vittorio Emanuele II é um dos “shoppings” mais antigos do mundo e onde estão presentes muitas lojas de grifes e jóias. São dois corredores que se cruzam formando mais ou menos uma cruz e sobre esse cruzamento existe uma imensa doma de vidro. O interior é todo decorado em tons dourados nas paredes e muitos mosaicos no chão. A entrada principal da galeria é um imenso arco e fica na Praça Duomo.

Detalhe da arquitetura - Galleria Vittorio Emanuele II
Detalhe da arquitetura – Galleria Vittorio Emanuele II
Doma de Vidro - Galleria Vittorio Emanuele II
Doma de Vidro – Galleria Vittorio Emanuele II
Detalhe do piso - Galleria Vittorio Emanuele II
Detalhe do piso – Galleria Vittorio Emanuele II

Também na Praça Duomo fica a Catedral de Milão. Ela é uma construção com estilo gótico e foi finalizada em 1965. A primeira lembrança que eu tive quando vi a Catedral foi dos castelinhos de areia que a gente fazia quando criança, quando deixávamos aquela mistura de água e areia formar torres por todas as partes. De um outro ângulo ela me lembrou um pouco a Sagrada Família, em Barcelona. A Praça Duomo é cheia de vendedores ambulantes e fotógrafos que ganham dinheiro tirando fotos dos turistas alimentando os pombos em frente a Catedral. Por conta disso é impossível, pelo menos pra mim que tenho pavor de pombo, ficar muito tempo por ali.

Catedral de Milão
Catedral de Milão

Próximo à galeria fica um pequeno restaurante/lanchonete chamada Luini. A especialidade da casa são os Panzerottis, que parecem um pastel assado e são muito gostosos! Os sabores são típicos da culinária italiana: mozzarela, tomate, rúcula, ricota e outros mais. O lugar é pequeno e não tem muito espaço pra se sentar, o jeito e ficar em pé do lado de fora ou levar pra comer em casa. O preço é bem barato em relação a outros restaurante e por isso tá sempre lotado! Fica bem de frente para um Mc Donald’s, mas parece que os panzerottis não perdem clientela pro ele não!

Visitamos o Museu de Ciência e Tecnologia Leonardo da Vinci. As maiores atrações do museu são as réplicas das invenções de da Vinci e uma parte muito bacana sobre tecnologia e transportes. Tem um submarino enorme que foi usado na Segunda Guerra Mundial em exposição. O museu é bem grande e ficamos por um tempo lá dentro, nos escondendo da chuva!

Invenção de Leonardo da Vinci
Invenção de Leonardo da Vinci
Submarino Erico Toti
Submarino Erico Toti

A ultima parada foi o Castello Sforzesco. Uma antiga fortaleza que foi transformada em castelo e hoje abriga alguns museus e galerias de arte. Infelizmente chegamos lá a noite e a maioria das galerias já estava fechando. Mas a própria arquitetura do castelo já era uma obra de arte. Uma construção toda de tijolinhos, com aquela cor avermelhada, muito iluminado. Um pátio enorme, todo gramado, com alguma estátuas e fontes. Tava caindo uma chuva fininha, e as gotinhas de água acabaram virando pontinhos luminosos em algumas fotos!

Torre do Castello Sforzesco
Torre – Castello Sforzesco
Pátio do Castello Sforzesco
Pátio – Castello Sforzesco
Fonte em frente a entrada do Castello Sforzesco
Fonte em frente a entrada – Castello Sforzesco

E aí, gostaram? Cometem! Próxima parada: Como e muita, muita neve!